Residuos Peligrosos

Veolia reúne especialistas no Fórum Internacional "Resíduos perigosos e a gestão na América Latina"

 

  • Nos últimos 30 anos, o volume de resíduos perigosos cresceu 500% em todo o mundo.
  • A empresa busca incentivar a discussão para tomar ações coletivas entre a indústria, a sociedade e o governo, a fim de resolver problemas de acesso e extensão da vida útil dos recursos, em um modelo de economia circular.
     

Com base na análise do Instituto de Física Interdisciplinar e Sistemas Complexos da Espanha (IFISC), são produzidos entre sete e 10 bilhões de toneladas de resíduos por ano no mundo todo, dos quais entre 300 e 500 milhões de toneladas são resíduos perigosos. Nos últimos 30 anos, o volume cresceu 500%, e é por isso que é essencial envolver as sociedades, indústrias e governos para tomar ações coletivas frente à emergência climática. 

Uma maneira de fomentar essa mudança é incentivar a discussão, e é por isso que a Veolia, referência na gestão eficiente de água, resíduos e energia, reunirá no Fórum Internacional "Resíduos perigosos e a gestão na América Latina", os responsáveis pela Sustentabilidade, Pesquisa e Desenvolvimento e Responsabilidade Social das organizações do setor privado, para definir soluções que englobam o impacto do tratamento, transformação e disposição de resíduos de diferentes ângulos.

 

Como aliados das indústrias, estamos focados em ser fornecedores de soluções que contribuem para alcançar sua própria transformação ecológica, e estamos conscientes de que isso, em grande medida, começa com o gerenciamento e uso eficiente dos resíduos perigosos. Acreditamos que a economia circular é a resposta aos desafios da poluição, gestão e preservação dos recursos
Juan Pablo Diaz
Diretor de Desenvolvimento de Negócios & Parceiro de Negócios Latam & Iberia.

De acordo com as informações fornecidas pelas empresas cadastradas no Registro de Geradores de Resíduos Perigosos (PGRP) para a Semarnat, apenas no México, entre 2004 e 2017, foram geradas 2,45 milhões de toneladas desse tipo de resíduos, caracterizados por sua corrosividade, reatividade, explosividade, toxicidade e inflamabilidade, e sua capacidade de conter agentes biológicos-infecciosos. Também são considerados perigosos os contêineres, recipientes, embalagens e solos que tenham contido ou tenham sido contaminados por resíduos perigosos.  

Sob este entendimento, empresas como Cementos Moctezuma, ISWA, SOLVAY, Argos, Unilever, Fundación Valle del Lili, Fundación Santa Fé de Bogotá, Toyota, Universidad Católica de Chile, Mediterranean Shipping Company, Refap - Petrobras e outras, vão propor ações para adaptar seus processos a fim de mitigar o risco ambiental de resíduos perigosos.

 

Este evento será realizado em 9 de junho, 11h00  através do link: